Post AD

Dicas para os micreiros musicais

por Miguel Ratton


    Embora a tecnologia possa parecer tão complicada, na verdade ninguém precisa ser engenheiro nem programador para poder usá-la e obter os resultados que deseja, como usuário. Muitas vezes, é apenas uma questão de organização e metodologia de trabalho. Neste artigo, trazemos algumas informações importantes para que o trabalho musical no computador seja mais eficiente.

1. A importância da documentação

Nos dias de hoje, informação é vital. Principalmente para quem usa o computador, e é obrigado a saber uma série de coisas que extrapolam a sua atividade-fim (no nosso caso: a música). O micreiro musical muitas vezes depende de certas informações técnicas para poder prosseguir seu trabalho: manipular um arquivo, configurar uma impressora, ajustar os canais de MIDI corretamente, etc. Por isso, é muito importante que as informações lhe estejam disponíveis, a qualquer momento.

Os bons softwares e equipamentos modernos em geral vêm acompanhados de farta documentação, mas a linguagem técnica quase sempre desanima o usuário a lê-la. Por outro lado, é muito comum encontrarmos num pequeno parágrafo do texto de um manual a solução exata de um determinado problema.

Então, aqui vão algumas regras fundamentais em relação à documentação:

  • Ao adquirir um equipamento, um software ou uma placa de computador, leia primeiramente, e com atenção, a documentação referente a instalação e "colocação em funcionamento". Isso, além de deixá-lo familiarizado com o novo produto adquirido, evitará que você cometa algum engano no processo de instalação e configuração. Em seguida, antes de começar a usar efetivamente o novo produto, "dê uma olhada" em todo o manual, para saber o que lá existe documentado. Isso lhe dará uma visão geral, e você certamente se lembrará onde procurar quando precisar saber sobre determinado assunto.

  • Tenha a documentação sempre à mão. Guarde num local de fácil acesso todos os manuais e outros textos relativos aos seus equipamentos e softwares. Assim, quando você precisar de alguma informação, saberá onde estão as referências.

  • Ao ler um manual, se você tiver alguma idéia ou conclusão específica sobre determinado tópico, anote (à lápis) na própria página. Isso garantirá que essa observação será encontrada no local certo.

2. Cuidados ao instalar e desinstalar softwares

A facilidade de se obter softwares hoje em dia, é um convite ao usuário para instalar um monte de coisas em seu computador. Muitas revistas vêm com CDs cheios de programinhas (a maioria inútil para você), e pela Internet também temos acesso à uma infinidade de versões de demonstração de softwares.

No entanto, antes de instalar qualquer coisa em seu computador, esteja ciente do seguinte:

  • Antes de instalar, tente saber o que exatamente faz o software, e se ele será útil para você. Não ocupe desnecessariamente espaço em seu disco rígido que poderia ser usado para outras finalidades mais importantes. Deixe sempre espaço livre em seu disco, para quando você precisar guardar algo importante.

  • A menos que a fonte onde você obteve o software seja realmente confiável, não instale-o sem antes passar um anti-vírus (veja detalhes no tópico seguinte).

  • Cuidado com softwares que alteram configurações do computador. Muitos softwares avisam que vão alterar alguma coisa; acompanhe atentamente todo o processo de instalação, e leia com calma todas as mensagens que são apresentadas na tela (principalmente aquelas que têm botões de resposta - "Yes" ou "No").

  • Cuidado com softwares que possuem vídeos. Muitos deles instalam o recurso do Video for Windows sem antes verificar se este já está instalado (e normalmente já está). Pode acontecer dele instalar uma versão mais antiga do que a que estava instalada (isso acontece muito quando aplicativos multimídia feitos para Windows 3.1 são instalados no Windows95).

  • Quando quiser remover algum programa, verifique antes se ele possui um ícone de "desinstalação". Caso afirmativo, efetue a desinstalação, ao invés de sair apagando você mesmo os arquivos e diretórios. Os softwares criados para Windows95 podem ser desinstalados através do Painel de Controle.

3. Vírus

Embora essa palavra deixe muito micreiro com medo, há muita gente que nem se importa com isso (às vezes, até por desconhecimento).

Embora os computadores sejam máquinas, eles estão sujeitos a certos males, que podem afetar seu funcionamento. O vírus de computador é um pequeno software que tem a propriedade de só funcionar em determinadas condições. Enquanto essas condições não ocorrem, o vírus fica alojado dentro de outro arquivo (em geral, um software executável). Normalmente, o vírus vem dentro de algum software, algum aplicativo que você instala em seu computador e, durante a instalação, ele se aloja em algum arquivo do sistema operacional, tornando-se então um enorme perigo, pois poderá atuar a qualquer momento.

Cabe ressaltar que o vírus não é criado pelo desenvolvedor do software em que ele veio alojado. Ele se instala em disquetes formatados em um computador "infectado", ou se transfere para arquivos executáveis no computador "infectado", que quando são copiados para um disquete, acabam levando a "doença" para outras pessoas.

Por isso, é importante que você tenha cuidado com disquetes trazidos por amigos, principalmente amigos de seus filhos! A garotada adora joguinhos, que copiam descontroladamente entre eles. Se uma máquina está "infectada", poderá passar para todas as demais.

Você deverá estar pensando: Mas quem cria os vírus? Bem, em geral, pessoas que querem mostrar (talvez para si mesmas) sua capacidade de interferir na vida de milhares ou milhões de usuários. Infelizmente, elas não se importam com os prejuízos que podem causar. Alguns vírus vão apagando aos poucos o conteúdo do disco rígido, ou simplesmente deteriorando os arquivos (o que dá no mesmo!). Outros, menos malignos, apenas mostram mensagens na tela. Há uma enorme variedade deles, cada um com sua própria maneira de perturbar.

As recomendações acima servem para diminuir bastante o risco de ter o computador infectado por um vírus. O procedimento, portanto, é idêntico ao de qualquer doença humana: evitar antes.

Mas se você tiver o dissabor de ter seu computador infectado (o que em geral você só vai saber tarde demais), o jeito é usar um "antídoto", ou seja, um anti-vírus. Existem várias empresas que produzem aplicativos cuja função é procurar os vírus e, ao encontrar algum, proceder a "limpeza". Milhares de vírus são conhecidos e podem ser eliminados, mas nem sempre se pode descobrir os vírus novos. Alguns dos softwares anti-vírus monitoram permanentemente a memória e o disco rígido do computador, e são capazes de detectar alguma anormalidade (mesmo se o vírus não é conhecido), informando o arquivo suspeito, que você deverá eliminar. Dentre os anti-vírus, os mais populares são: Norton, McAffee Viruscan, Thunderbyte, e outros. Os anti-vírus não são caros, e a maioria oferece atualizações periódicas (para cobrir os novos vírus).

4. A importância do "backup"

Certamente, você guarda cópias de seus documentos pessoais (carteira de identidade, título de eleitor, etc), pois sabe que, se perder os originais, fica mais fácil conseguir outra via se tiver uma cópia. No computador, também é importante você ter cópias dos arquivos mais essenciais para o seu trabalho.

Imagine que você está fazendo um arranjo MIDI para as músicas de um cantor, e esse trabalho já lhe consumiu três semanas. Um belo (ou melhor, triste) dia, você tenta abrir os arquivos com as músicas e recebe uma mensagem do tipo "Unable to open file." ("incapaz de abrir o arquivo"). Você tenta de novo, e recebe sempre a mesma mensagem. Um friozinho corre pela sua espinha, e uma terrível sensação de mal-estar lhe vem quando você se lembra de que tem mais dois dias para entregar o trabalho pronto!

Não quero deixar ninguém apavorado, mas isso pode ocorrer com qualquer um. É como seguro de automóvel: pode custar um pouco caro, mas se acontecer do seu carro ser roubado, você estará garantido. É uma questão de probabilidade, que as estatísticas comprovam. Eu já passei pelas duas experiências (já perdi arquivos importantes, e já tive meu carro roubado), mas felizmente sou precavido, e recuperei os arquivos e o carro.

O procedimento de fazer "cópias de segurança" dos dados importantes de seu computador é o que, em computês, nós chamamos de "fazer backup". A cópia backup é nada mais do que uma réplica do arquivo original, e a forma mais simples de fazer backup é salvar o arquivo em dois lugares diferentes: se um deles se estragar, usa-se o outro. Você pode salvar o arquivo em dois lugares, no mesmo disco rígido, mas isso não resolverá seu problema no caso de um defeito no disco (também já tive essa experiência!).

O melhor mesmo é você ter cópias backup de seus arquivos importantes em outro dispositivo de armazenamento como disquete ou CD-R. Nesse caso, se o disco de seu computador "pifar" (o que é raro, mas não impossível), você compra outro disco, reinstala os softwares, e copia seus trabalhos do backup. É uma solução rápida, e barata (um CD-R custa cerca de R$ 1). Se você trabalha principalmente com arquivos de MIDI e de textos, o disquete resolve fácil. No entanto, se o seu trabalho musical no computador também envolve gravação de áudio digital, então o disquete não poderá armazenar todos os dados. A solução então é gravar os dados em um CD-R.

Para fazer as cópias backup, uma opção simples é copiar os arquivos (usando o Windows Explorer, ou então salvar sempre o trabalho em duplicata também no disco de backup. Se você tem muitos arquivos que precisam ser copiados em backup, existem softwares específicos para gerenciar o processo, onde você indica todos os arquivos que deseja copiar, e o software efetua as cópias, inclusive compactando os dados, para caber mais arquivos no disco de backup.

O Windows 95/98 vem com um aplicativo para backup, que não só efetua a cópia backup dos arquivos que você indicar, mas também facilita muito o processo de recuperação de qualquer desses arquivos, no caso de você perder o original. Existem também outros softwares no mercado que fazem backup.

A frequência para você fazer backup depende do volume de trabalho que você realiza. Se você trabalhou muito num arquivo num mesmo dia, seria interessante fazer um backup desse trabalho.

5. Internet

A Internet é, sem sombra de dúvida, a mídia mais interessante da atualidade. Através dela, podemos transferir e apresentar para outras pessoas textos, imagens, sons, etc. A maioria das empresas já está presente na Internet, inclusive as empresas da área de música.

"Estar presente", nesse caso, vai muito além do que simplesmente possuir um endereço para correspondência via correio eletrônico (e-mail). Uma empresa pode disponibilizar uma coletânea imensa de informações sobre seus produtos ou serviços, o que certamente facilita a divulgação da sua imagem, mas também é uma forma de assistência extremamente barata.

A maioria das empresas de música possui sites na Internet, onde mantêm inúmeras páginas com textos informativos e ilustrações sobre seus produtos. Visitando um desses sites, você normalmente encontra novidades sobre a empresa, novas versões de softwares, novos produtos, dicas de instalação e operação, e uma infinidade de outras facilidades. Muitos sites contêm bancos de informações com as dúvidas mais frequentes dos usuários ("FAQ - Frequently Asked Questions"), que você pode consultar, e em geral encontra a resposta para o seu problema também.

Fabricantes de software costumam disponibilizar em seus sites as versões de demonstração de seus produtos, que você pode transferir diretamente para seu computador, e experimentar antes de comprar. Existem também os grupos de discussão, onde você pode deixar mensagens e outras pessoas irão ler e responder. Normalmente, isso é uma boa forma de encontrar ajuda, e até de fazer amizade com usuários do mesmo software que você usa.

A vantagem disso tudo é que as informações na Internet são de graça! Exceto em poucos sites que só permitem o acesso de clientes cadastrados previamente (mediante pagamento), o restante está lá, esperando por você. Além das empresas, muitas pessoas criam sites para apresentar informações para outras que tenham os mesmos interesses.

Um bom exemplo disso é o nosso site www.music-center.com.br, que oferece uma infinidade de informações sobre tecnologia musical, com um acervo imenso de textos, análises e outras coisas interessantes para os aficionados da computer music. Tudo de graça!

No próximo artigo, vamos falar sobre os sequenciadores.

Share on Google Plus

About Wiliam Damasceno

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment

0 comentários: