18 de junho de 2007

Masterizar um tema acústico com plugins Waves

Este tutorial cobre as técnicas básicas de masterização usando plugins da Waves. Este processo está focado em estilos musicais baseados em instrumentos acústicos, e não em estilos baseados em instrumentos eletrônicos como o techno.
Considere este tutorial como uma introdução ao mundo da masterização. Comece por aqui e desenvolva o seu próprio estilo. Os plugins necessários para acompanhar este tutorial são: Waves Renaissance EQ 4 band, Waves Linear Multiband Compressor, e Waves L2. Caso não os possua, você poderá baixar demos diretamente da página da Waves [ Waves.com ].

A maioria das gravações em home-studios possui três problemas principais. O primeiro é o que chamo de máscara de graves (bass mask). O segundo é uma falta de brilho nos agudos. O terceiro e último é o desequilíbrio geral ao longo do espectro de frequência. Vamos ver isso mais detalhadamente.

PASSO 1: O primeiro passo é mixar o tema o melhor possível. Faça com que a canção soe o melhor possível. Após, mixe-a em uma pista estéreo e crie um novo projeto no seu seqüenciador com este arquivo estéreo na trilha 1.

PASSO 2: A máscara de graves é basicamente: As frequências baixas tendem a ser aumentadas. Na tentativa de fazer com que nossas gravações soem realmente potentes, tendemos a aumentar os graves no bumbo e no baixo. Isto faz com que a mixagem fique nebulosa e soe demasiada grave. Ouça os seus CDs favoritos. Acredito que nenhum soe assim. Durante o processo de mixagem você deve ter isso em mente sempre. Mas a falta de uma pegada e enfraquecimento nas frequências baixas também se converte em um problema. Por isso vamos tratar um pouco as nossas frequências baixas no nosso processo de masterização. Insira o Waves Renaissance EQ de 4 bandas como o primeiro plugin na cadeia de efeitos aplicada na trilha. Ajuste as bandas 1 e 2 como é mostrado na Fig. 1. A Banda 1 é um filtro passa-altas em 30Hz para eliminar as subfrequencias baixas que passeiam pela parte mais baixa do espectro. Depois adicionamos uma ligeira potenciação em torno de 40Hz para devolver alguma coisa de pegada e definição à mixagem que pode ter sido perdida quando aplicamos o filtro passa-altas.

PASSO 3: Agora vamos aumentar os agudos para dar brilho aos pratos e brilho geral à mixagem. Desconecte a Banda 5 do REQ4 clicando na luz de forma que fique cinza como o mostrado na Fig. 2. Após ajuste a Banda 6 do REQ4 como é mostrado na Fig. 2.

PASSO 4: Reproduza a trilha até o seu final sem parar. Agora consulte os indicadores que mostrarão alguns números e o led vermelho de cima pode ser que esteja aceso como na Fig. 3. Caso o led não esteja aceso, o número apresentado no campo acima será positivo ou 0.0, o que significa que não houve distorções no sinal e poderemos passar para o PASSO 5. Caso o led esteja aceso, o número será negativo (na Fig. 3 apresenta –3.1). Como temos um valor negativo, significa que possuímos uma distorção no sinal de saída, então clique diretamente sobre o número. Este ficará ajustado em 0.0 e os números de ambos os lados do campo serão alterados para o valor que existiam anteriormente e os veremos como na Fig. 4. O que conseguimos com isso foi abaixar o indicadores o necessário para evitar clipping digital na saída do áudio.

PASSO 5: Reproduza mais uma vez a trilha até o seu final, sem parar. Desta vez faça uma audição crítica e fixe=se na interação de agudos e graves no restante da mixagem. Decida se está gostando do que está começando a soar. Talvez você tenha aumentado muito os agudos (17448Hz) e os graves (40Hz) por demasiado. Logo, decida se deseja atenuar essas duas bandas. Caso decida fazê-lo, abaixe o ganho do sinal de saída no PASSO 4, ajuste os faders de saída novamente em 0.0 e repita o PASSO 4.


Figura 1
Figura 2
Figura 3
Figura 4

Figura 1
Figura 2
Figura 3
Figura 4




PASSO 6: Insira o Waves Linear Multiband Processor na cadeia de plugins logo após do REQ4. Clique no botão Load na seção LinMB e selecione Basic Multi na lista que é apresentada. Reproduza mais uma vez a trilha até o seu final sem parar. Agora você terá vários números nos diferentes campos de peak hold.


PASSO 7: Abaixo de cada uma das cinco bandas é visto um valor no campo de peak hold. É o campo que apresenta –9.1 na Fig. 5. Na coluna Thrsh do canal entre com o valor do campo peak hold. meu canal agora se vê como na Fig. 6 com o –9.1 no campo Thrsh e no campo peak hold. Faça a mesma coisa nos cinco canais. Depois, ajuste o campo Adaptive em –12 como é visto na Fig. 7.

PASSO 8: Reproduza mais uma vez a trilha até o final, mais uma vez sem parar. Observe o botão Trim. Caso seja um número positivo ou 0.0 vá para o PASSO 9. Caso seja negativo com o que é visto na Fig. 8 onde apresenta –3.8, então clique no botão Trim. O ganho do sinal de saída será ajustado automaticamente para eliminar o clipping e meu exemplo será visto agora como na Fig. 9 com 0.0 no campo Trim e o ganho de saída em –3.8 na parte de cima.


Figura 5
Figura 6
Figura 7
Figura 8
Figura 9

Figura 5
Figura 6
Figura 7
Figura 8
Figura 9




PASSO 9: Ouça a canção. Agora ela deverá estar começando a soar melhor. De fato, caso tudo tenha corrido bem terminamos aqui. A única coisa que precisamos fazer é subir os níveis para fiquem um pouco uniformes e estaremos prontos para gravar o tema no CD. Insira o Waves L2 como último plugin na cadeia de efeitos. Reproduza mais uma vez a trilha até o final sem interrupções. Você verá que os campos peak hold na parte de baixo apresentam alguns valores. Inspecione os números na parte inferior da zona Threshold como se vê na Fig. 10. Selecione um número mais alto. Na Fig. 10 vemos –6.1 e –5.8, assim que selecionarmos –5.8. Resta 6.0 a esse valor e pondo o resultado no fader Threshold. Falta ajustar 6.0 em –5.8, teremos –11.8, que é valor que poremos no fader, e veremos algo parecido como na Fig. 11.

PASSO 10: Ajusta o fader Out Ceiling de L2 para -0.2, como o mostrado na Fig. 12. Reproduza mais uma vez a trilha até o final sem parar e observe a coluna Atten como o mostrado na Fig. 13. Fixe-se no campo Peak na parte de baixo da zona Atten. O ideal é que apresente –6.0 exatamente. Caso apresente algo abaixo de –6.0, então ajuste o Threshold aumentando pela quantidade que esteja abaixo. Por exemplo, caso esteja marcando –6.2, então aumente o Threshold em 0.2. Caso esteja mostrando acima de 6.0, então diminua o Threshold pela quantidade equivalente. Por exemplo, caso apresente –5.7, abaixe o Threshold por 0.7. Continue ajustando até que possa toda a canção sem parar e que no campo Atten peak marque exatamente -6.0 (na realidade não há necessidade que apresente exatamente –6.0 caso não o queira, a decisão é sua).


Figura 10
Figura 11
Figura 12
Figura 13

Figura 10
Figura 11
Figura 12
Figura 13



Traduzido e adaptado por [ Germano Lins ]
Original de [ Malhavok's World ]

6 comentários:

jose renato bosquetti disse...

muito boa a esplicasão de masterisação pena que as imagens não abre

Paulo disse...

Muito bom o artigo! Que pena que não tem as figuras...

Anakin disse...

Nesse link tem o arquivo em ingles com as figuras.
Fica muito melhor

http://www.geocities.com/sunsetstrip/studio/2786/tut_mastering.html

Downloads completos. disse...

Fala Wiliam, tudo blz?!
Cara, show de bole esse post, me serviu como uma luva, pois eu gosto muito dos plugins da Waves e uso bastante. Sendo que pra mim também seriam muito importantes as figuras, vc ainda tem essas imagens disponíveis? Algum link onde eu possa encontrá-las?
Desde já grato e, meus parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

aqui está o arquivo com imagens!

http://www.musicaudio.net/dicas/masterizando_com_waves.htm

Anônimo disse...

se fizer desta maneira o headroom vai pro saco!!! sem falar de outras questões essenciais para uma música de qualidade!!! mas se for para barulho pop, serve!!